Dúvidas sobre aposentadoria?

fale com o : pelo | via e-mail

Voltar a Página Anterior


Postado dia 18 de junho de 2018 por


Entenda as propostas de mudança da Previdência e como se preparar

Para boa parte das pessoas que trabalham, a chegada da aposentadoria é um momento bastante esperado. Passar mais tempo com a família, viajar e se dedicar aos próprios hobbies são expectativas comuns dessa nova fase. No entanto, com a possibilidade de mudanças no sistema previdenciário, a espera ansiosa por esse momento tem dado lugar à sensação de insegurança.

O medo de não preencher os requisitos para receber o benefício levou nos últimos meses muitos trabalhadores a correrem ao INSS para adiantar seus processos de aposentadoria, mesmo que isso significasse não receber o valor integral do benefício – já que essa decisão está atrelada ao fator previdenciário (índice redutor do benefício, que leva em conta a idade e expectativa de vida).

Felizmente, a votação das novas regras, que estava prevista para acontecer em fevereiro desse ano, foi suspensa em razão da intervenção militar no Rio de Janeiro, pois por lei o governo está impedido de votar qualquer proposta de emenda constitucional enquanto a intervenção estiver em andamento.

Como provavelmente a discussão das mudanças não acontecerá mais este ano, agora é o momento ideal para avaliar o impacto das novas regras e se planejar para a aposentadoria. A seguir, esclarecemos as principais dúvidas que permeiam a maior parte das preocupações sobre o assunto:

Como funcionam as regras atuais

Atualmente, existem duas formas de se aposentar:

1- Fator previdenciário

Existente desde 1999, o fator previdenciário corresponde a uma fórmula que leva em conta alíquota de contribuição no valor fixo de 0,31, idade do trabalhador, tempo de contribuição para a Previdência Social e expectativa de vida.

Quanto menor a idade no momento da aposentadoria, maior é o redutor do benefício. No entanto, quanto mais tempo a pessoa levar para se aposentar, maior será o benefício.

1 – Regra 85/95

Sancionada em 2015, corresponde a uma pontuação mínima que homens e mulheres devem atingir para se aposentar com o benefício integral. Para quem se enquadra nela, o fator previdenciário não afetará o valor da aposentadoria.

Ela funciona da seguinte forma: os números 85 e 95 representam a soma da idade da pessoa e do tempo de sua contribuição para o INSS. 85 corresponde à soma da idade e tempo de contribuição para mulheres, que deve ser de, no mínimo, 30 anos.

Já o número 95 corresponde à soma da idade e tempo de contribuição dos homens, que deve ser de 35 anos, no mínimo. Para professores, o fator é 80/90 e a contribuição mínima é 23 (mulheres) e 30 (homens).

Quais são as mudanças propostas pelo governo

Em resumo, a reforma da previdência prevê idade mínima para se aposentar de 65 anos para homens e 62 anos para mulheres com, no mínimo, 15 anos de contribuição ao INSS.

O valor da aposentadoria corresponderá 60% do valor dos salários, acrescidos de 1% para cada ano que superar 15 anos de contribuição, de 1,5% para cada ano que superar 25 anos de contribuição, 2% para o que passar de 30 anos e 2,5% para o que superar 35 anos. Para receber o valor integral do benefício serão necessários 40 anos de contribuição.

A nova lei possui uma regra de transição que permitirá que as pessoas que estiverem perto de se aposentar por tempo de contribuição pela lei atual possam solicitar o benefício.

Como você pode se planejar

Se você ainda não fez um planejamento sobre a sua aposentadoria, esse é o momento ideal para isso. Uma boa dica é procurar um especialista para fazer os cálculos ou realizar uma simulação pelo portal do INSS: https://www.inss.gov.br/servicos-do-inss/simulacao/

Além disso, outra recomendação extremamente importante que parece simples, mas que muitas pessoas ainda não seguem, é a de manter uma poupança. Poupar hoje pode garantir um futuro mais confortável para você e sua família. Para isso, fazer um simples esboço do seu orçamento, irá ajudá-lo a manter as rédeas de suas finanças e a cortar gastos desnecessários.

Além da poupança, existem diversos outros investimentos de longo prazo que podem render bons frutos daqui uns anos, como é o caso dos fundos de pensão fechados pelas empresas ou categorias profissionais, fundos abertos oferecidos por instituições financeiras e outras aplicações no mercado financeiro. Um consultor de confiança poderá ajudá-lo nesses planos.

Apoio da família

Nessa fase de incertezas, as emoções oscilam rapidamente, e isso pode afetar tanto a sua saúde mental quanto física. Por esse motivo, é importante manter o equilíbrio emocional, buscar o máximo de informações possíveis e contar com o apoio da família. Não guarde para você as preocupações. Exponha seus sentimentos àqueles que você ama. E caso seja necessário, entre em contato com o nosso serviço de apoio.

Receba novos posts por e-mail:
Powered by follow.it

Está passando por alguma dessas situações ou precisa de ajuda em alguma outra questão?

Fale com o d .

Este é um recurso exclusivo e foi desenvolvido para ajudar você a melhorar sua saúde mental positiva, sua resiliência e o equilíbrio entre sua vida profissional e sua vida pessoal.

Se você sentir que é uma ameaça para si mesmo ou para outra pessoa, entre em contato com o d ou ligue para o telefone de emergência 190 ou para 188 para falar com o CVV – Centro de Valorização da Vida em todo o território brasileiro.