Conversando com crianças sobre guerra: Orientações para pais e responsáveis

fale com o : pelo | via e-mail

Voltar a Página Anterior


Postado dia 30 de outubro de 2023 por


Conversando com crianças sobre guerra: Orientações para pais e responsáveis

O mundo pode parecer um lugar complexo, e as notícias de conflitos e guerras podem ser preocupantes, tanto para adultos quanto para crianças. Às vezes, as crianças se interessam por esses tópicos e fazem perguntas que nem sempre sabemos como responder. Abordar a questão da guerra com sensibilidade é essencial, e existem maneiras de fazê-lo com cuidado.

Como as Guerras Afetam as Crianças?

Quando falamos sobre conflitos globais, é natural que as crianças também se interessem e façam perguntas. Elas podem variar de curiosidade a medo, e suas reações podem afetar seu comportamento. Não devemos subestimar a capacidade das crianças de absorver informações, mesmo que não as expressem verbalmente. Observar e compreender o que as crianças já sabem ou sentem sobre a guerra é essencial para abordar o assunto com sensibilidade.

Dicas para Abordar o Tópico da Guerra com Crianças:

  1. Entenda o Conhecimento da Criança: Descubra o que a criança já sabe sobre a guerra. Permita que ela lidere a conversa, fazendo perguntas e respondendo conforme sua curiosidade.
  2. Respeite o Interesse: Não force o assunto, principalmente com crianças pequenas. Esteja disponível para conversar caso a criança manifeste interesse.
  3. Proteja da Violência Visual: Evite exposição a imagens perturbadoras e monitore o que elas veem. Se já foram expostas, converse para entender suas reações.
  4. Adapte-se às Perguntas: Responda às perguntas da criança, mas sem excesso de detalhes e com linguagem adequada à idade.
  5. Compartilhe Emoções: Fale sobre seus próprios sentimentos, respeitando os sentimentos da criança.
  6. Destaque a Paz e o Diálogo: Enfatize a importância da paz e do diálogo nas relações humanas.
  7. Mantenha Rotina e Segurança: Auxilie a criança a manter uma rotina normal e se sentir segura em casa.
  8. Promova Esperança e Solidariedade: Lembre à criança que existem pessoas e organizações dedicadas a promover a paz e ajudar aqueles afetados por conflitos.

Aqui no Brasil, o que acontece em outras partes do mundo também impacta nossas vidas, seja por questões políticas, econômicas ou humanitárias. Cada conflito gera consequências que ultrapassam fronteiras, influenciando o custo de vida e o nosso próprio bem-estar.

Neste contexto, também é importante lembrar que o Brasil acolhe cerca de 60 mil pessoas refugiadas de países que enfrentam conflitos e violações dos direitos humanos. Essas pessoas contribuem para a nossa sociedade de diversas maneiras, trazendo consigo culturas, culinárias e experiências enriquecedoras. Acolher e respeitar a diversidade é fundamental, e ao fazê-lo, ensinamos às gerações futuras valores essenciais. Ao adotar essas dicas e promover o diálogo, contribuímos para que nossas crianças cresçam com compreensão e empatia em relação aos desafios do mundo.

Juntos, podemos fazer a diferença e promover um mundo mais justo e igualitário!

Receba novos posts por e-mail:
Powered by follow.it

Está passando por alguma dessas situações ou precisa de ajuda em alguma outra questão?

Fale com o d .

Este é um recurso exclusivo e foi desenvolvido para ajudar você a melhorar sua saúde mental positiva, sua resiliência e o equilíbrio entre sua vida profissional e sua vida pessoal.

Se você sentir que é uma ameaça para si mesmo ou para outra pessoa, entre em contato com o d ou ligue para o telefone de emergência 190 ou para 188 para falar com o CVV – Centro de Valorização da Vida em todo o território brasileiro.