Demência em idosos: saiba como prevenir e ajudar quem tem

fale com o : pelo | via e-mail

Voltar a Página Anterior


Postado dia 10 de outubro de 2018 por


Comemorado no dia 1º de outubro, o Dia Nacional do Idoso reforça a importância da inclusão social da terceira idade e alerta para os problemas que afligem essa grande parcela da população. É possível envelhecer com qualidade de vida e bem-estar, mas, para isso, é necessário ter acesso a informações e cuidados.

Segundo a Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia, as falhas na memória constituem a queixa cognitiva mais comum em idosos. Aproximadamente 50% destes queixam-se de dificuldades em lembrar nomes, palavras e número de telefones. Isso pode ser um sintoma normal do envelhecimento, mas também pode ser o sinal de uma demência.

 

O que é a demência?

A demência é o termo utilizado para descrever sintomas de um grupo de doenças que causam um declínio progressivo e afetam o cérebro. De acordo com a Associação Portuguesa de Familiares e Amigos dos Doentes de Alzheimer, a demência abrange perda de memória, capacidade intelectual, raciocínio, competências sociais e alterações das reações emocionais.

À medida que a população mundial envelhece, espera-se que o número de pessoas com demência triplique. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a estimativa é que em 2050 sejam 152 milhões de pessoas com demência. Por isso, a OMS alerta que devemos prestar mais atenção a este desafio crescente e garantir que todas as pessoas que vivem com demência, onde quer que estejam, tenham o cuidado que precisam.

 

Tipos mais comuns de demência

A demência pode afetar uma pessoa em qualquer idade, mas é mais comum que o diagnóstico aconteça em pessoas com mais de 65 anos. Segundo a associação britânica Dementia UK, existem mais de 200 tipos de demência e o mais comum é o Alzheimer. Conheça alguns tipos de demência:

 

Alzheimer – a causa é desconhecida, mas acredita-se que seja geneticamente determinada. Ele se instala quando o processamento de certas proteínas do sistema nervoso central começa a dar errado, o que causa perda progressiva de neurônios e afeta memória, reconhecimento de estímulos sensoriais e pensamento abstrato. A doença costuma evoluir de forma lenta e o tratamento busca retardar a progressão já que ainda não tem cura.

Demência vascular – esta doença é uma deficiência cognitiva causada por danos nos vasos sanguíneos do cérebro. Existem vários tipos de demência vascular, mas as mais comuns são a Demência por Multienfartes e a Doença de Binswanger. Nos estágios iniciais, a condição causa dificuldade de raciocínio e julgamento. Em fases posteriores, a memória é afetada.

Demência com corpos de Lewy – causada pela degeneração e morte das células cerebrais, essa doença tem como sintomas alucinações visuais, confusão mental e rigidez ou tremores nos movimentos. Sua condição tende a oscilar rapidamente. A progressão é mais rápida que o Alzheimer.

 

Como prevenir a demência?

Apesar de em muitos casos a causa ser desconhecida, existem alguns hábitos que você pode adotar para prevenir o desenvolvimento de uma demência.

Além disso, não se esqueça de ir ao médico regularmente. Se diagnosticado de forma precoce, é possível tratar e retardar a evolução da doença.

 

Como ajudar alguém com demência?

As doenças neurodegenerativas interferem significativamente na capacidade de uma pessoa manter as atividades cotidianas. É muito importante apoiar e ajudar o parente ou amigo com demência, pois isso faz uma diferença positiva no controle da condição. Veja algumas dicas da Associação de Alzheimer:

 

Não se esqueça de ter paciência e aceitar as limitações do seu parente ou amigo. Se você notar alterações no comportamento, leve-o ao médico para descartar outros problemas físicos ou efeitos colaterais de medicação.

 

Para ler outros artigos sobre saúde mental, confira o que preparamos em Minha Mente.

Receba novos posts por e-mail:
Powered by follow.it

Está passando por alguma dessas situações ou precisa de ajuda em alguma outra questão?

Fale com o d .

Este é um recurso exclusivo e foi desenvolvido para ajudar você a melhorar sua saúde mental positiva, sua resiliência e o equilíbrio entre sua vida profissional e sua vida pessoal.

Se você sentir que é uma ameaça para si mesmo ou para outra pessoa, entre em contato com o d ou ligue para o telefone de emergência 190 ou para 188 para falar com o CVV – Centro de Valorização da Vida em todo o território brasileiro.