Como lidar com um diagnóstico médico grave

fale com o : pelo | via e-mail

Voltar a Página Anterior


Postado dia 1 de setembro de 2021 por


Como lidar com um diagnóstico médico grave

Quando você recebe a notícia de que tem um problema de saúde grave, seja câncer, doença cardíaca, diabetes ou alguma outra condição, isso pode deixá-lo profundamente abalado. De repente, você é confrontado com a realidade de um desafio de saúde pelo qual não esperava, e o que sobra é um turbilhão de emoções.

Assim como perder um ente querido, as pessoas que são diagnosticadas com um problema de saúde grave costumam vivenciar cinco fases de luto à medida que assimilam sua nova realidade. Entender as fases e reconhecer aquilo pelo que você está passando o ajudará a se manter concentrado em sua meta emocional definitiva: aceitação e bem-estar mental.

Reconhecendo as cinco fases do enfrentamento de um diagnóstico médico

1ª fase – Negação: Esta é tipicamente a primeira emoção que surge após o recebimento do diagnóstico. Sua primeira reação pode ser: “Isso não é possível – não estou me sentindo doente!” “Isso deve estar errado – sou muito jovem para isso!” Nesta fase, o impacto da notícia está repercutindo em sua mente à medida que você tenta compreender a realidade da situação. Você está em choque. 

2ª fase – Raiva: A próxima fase é ainda mais conturbada à medida que você começa a encarar o que o diagnóstico médico realmente significará para sua vida. A doença, os tratamentos, as consultas, as mudanças de vida, tudo isso impacta fortemente sua mente, e você fica imerso em um mar de pensamentos negativos e hostilidade. Você está com raiva, e sua raiva pode ser direcionada ao médico que o diagnosticou, familiares, amigos ou até mesmo desconhecidos aleatórios. 

3ª fase – Negociação: Quando nos sentimos vulneráveis ou impotentes, nossa reação natural é tentar retomar controle sobre a nossa vida. Para alguns, isso significa negociar com uma força maior, enquanto outros buscam uma segunda opinião esperando obter resultados diferentes. As mudanças de estilo de vida podem ocorrer nesta fase, o que certamente é capaz de beneficiar sua saúde em geral – no entanto, elas não poderão mudar o diagnóstico. 

4ª fase – Depressão: Esta fase é caracterizada por sentimentos de solidão e tristeza, e você pode acabar se distanciando de entes queridos. Você sentirá que as pessoas que ama e que o amam não entendem o que você está passando, e isso pode causar uma grande sensação de isolamento. Muitas pessoas se retraem como resultado. Nesta fase, muitas pessoas que foram diagnosticadas com uma doença grave também lamentam a perda da forma como eram antes – seu “eu” mais saudável e a vida que o acompanhava.

5ª fase – Aceitação: A última fase é marcada por uma sensação de calma. Embora não esteja necessariamente feliz no sentido tradicional, você conseguiu aceitar o diagnóstico e interrompeu sua luta interna contra ele. Nesta fase, você poderá:

Receber um diagnóstico médico de uma doença grave sempre será difícil de ouvir e aceitar. Embora possa não ser capaz de controlar a manifestação física da sua doença, você pode tomar medidas para minimizar a forma como ela o afeta mentalmente. Permita a si mesmo um período de luto pelo seu diagnóstico e reconheça as fases à medida que você avança por elas, esforçando-se para alcançar a aceitação.

Se estiver passando por algum problema ou situação difícil, você pode entrar em contato com o Programa de Apoio ao Empregado.

Esse conteúdo foi desenvolvido pela LifeWorks e adaptado para a CGP Brasil.

Receba novos posts por e-mail:
Powered by follow.it

Está passando por alguma dessas situações ou precisa de ajuda em alguma outra questão?

Fale com o d .

Este é um recurso exclusivo e foi desenvolvido para ajudar você a melhorar sua saúde mental positiva, sua resiliência e o equilíbrio entre sua vida profissional e sua vida pessoal.

Se você sentir que é uma ameaça para si mesmo ou para outra pessoa, entre em contato com o d ou ligue para o telefone de emergência 190 ou para 188 para falar com o CVV – Centro de Valorização da Vida em todo o território brasileiro.