Lidando com sentimentos de medo e ansiedade em relação à violência

fale com o : pelo | via e-mail

Voltar a Página Anterior


Postado dia 2 de maio de 2022 por


Atos de violência, quer ocorram localmente ou no exterior, podem afetar nossa sensação de segurança em relação ao presente e ao futuro. Imagens vívidas podem aumentar os medos, sejam eles de um ataque terrorista, um tiroteio policial, uma rebelião que resulte em ferimentos ou mortes ou um assassinato em massa direcionado, capaz de tirar a vida de vítimas inocentes. Nossa etnia, orientação sexual, gênero, religião ou visão política podem nos deixar ainda com mais medo e ansiedade. Mesmo que não nos sintamos diretamente impactados por eventos violentos, podemos experimentar emoções difíceis ou dolorosas. Podemos pensar em como conseguiremos nos manter seguros e o que podemos fazer para ajudar a reduzir ou prevenir atos de violência. Este artigo fornece informações sobre como lidar com momentos assim.

Como você pode se sentir

Eventos locais, nacionais e internacionais inquietantes nos afetam de diversas maneiras. Isso é especialmente verdadeiro para atos de violência, desde ataques terroristas até tiroteios policiais e crimes de ódio. Mesmo quando não somos impactados diretamente, eventos dessa natureza frequentemente nos afetam e podem gerar sentimentos de:

Após um ato de violência, você pode passar a se preocupar com tudo, questionando desde a sua segurança pessoal e familiar até suas viagens. Em um mundo que parece menos seguro, você pode se preocupar com sua família, comunidade e tudo ao seu redor.

Gerenciando sentimentos de medo e ansiedade

Atos de violência podem nos deixar ansiosos, sobrecarregados ou preocupados com coisas sobre as quais temos pouco controle. Você pode se perguntar como fazer a diferença. Manter a concentração em coisas sobre as quais temos controle pode nos ajudar a reduzir a preocupação e a ansiedade.

Mantenha-se informado e preste atenção às informações publicadas por autoridades locais ou federais. Embora seja impossível prever onde e quando um ato de violência ou terrorismo vai acontecer, existem coisas que você pode fazer para melhorar sua segurança. As autoridades podem emitir avisos, por exemplo, para que fiquemos vigilantes em uma multidão ou para que tomemos precauções especiais ao viajar. Isso não significa permanecer em casa ou evitar lugares públicos. No entanto, significa que devemos ser mais cuidadosos sobre as coisas que fazemos todos os dias, sempre orientados pelo bom senso.

Conecte-se com outras pessoas em que você confia para suporte em vez de se manter isolado. Fale sobre os seus pensamentos e sentimentos. Pense em se envolver com instituições que tenham as mesmas crenças que você ou que defendam causas que promovam paz, justiça pessoal e comunitária. Isso pode gerar em você o sentimento de que está contribuindo positivamente.

Tente não tirar conclusões negativas. Equilibre as imagens traumáticas e as informações preocupantes da mídia com uma mentalidade esperançosa, entendendo que as pessoas compartilham a mesma necessidade básica de se sentirem seguras, protegidas e cuidadas. Gaste sua energia juntando informações confiáveis de fontes fidedignas. Quando estamos no limite, é normal que nos sintamos nervosos e inquietos, o que pode nos levar a acreditar ou a temer o pior. Por exemplo, a presença de carros de polícia ou de bombeiros no nosso bairro pode causar grande ansiedade. Tente se manter calmo e com a mente clara.

Cuide-se. Faça questão de comer alimentos nutritivos em intervalos regulares. Limite ou evite o consumo de álcool ou cafeína. Beba bastante água — o estresse pode levar a desidratação em alguns casos.  Fazer exercícios regularmente é uma das melhores maneiras de reduzir o estresse e melhorar o humor, portanto, tente colocar isso como uma prioridade. Tenha uma rotina de sono regular.

Use técnicas para alívio de estresse que funcionam para você. Avalie fazer aulas de yoga, por exemplo, ou faça uma caminhada, exercícios, escute música e mantenha uma rotina reconfortante. Todas essas atividades são maneiras eficientes de aliviar o estresse.

Evite usar álcool ou drogas ilegais para lidar com as emoções. Álcool e drogas ilegais proporcionam uma fuga das emoções desagradáveis, mas podem também levar a uma dependência pouco saudável em vez de conduzir à descoberta de maneiras mais positivas e duradouras de lidar com as emoções difíceis. Além do mais, o álcool é um depressor e pode fazer com que você se sinta ainda mais deprimido.

Use técnicas de relaxamento, como a respiração profunda, visualização positiva e meditação para reduzir sentimentos de preocupação e ansiedade. Você encontrará vários exercícios guiados de relaxamento na seção de Suporte e Recursos neste site.

Limite a quantidade de tempo gasto em notícias, inclusive na mídia social. Caso as notícias sobre um ato de violência recente o deixem ansioso, limite-se a uma dose diária de notícias. Oculte, silencie ou deixe de seguir feeds de mídia social que sejam inquietantes. Frequentemente, é possível prever quais são os programas de rádio ou TV que apresentam notícias dessa natureza. No entanto, você nunca sabe quais dos seus contatos no Facebook, Twitter ou em outras mídias sociais vão postar uma mensagem ou link com conteúdo estressante. Você pode evitar algumas surpresas desagradáveis ao, temporariamente, deixar de seguir algumas pessoas ou organizações.

Evite violência visual e outros programas inquietantes antes de dormir. Se você assiste TV para relaxar, lembre-se de que certos tipos de programa, como cobertura de notícias ou programas de ação e suspense, podem dificultar o sono. Tente escutar as notícias mais cedo — por exemplo, a caminho de casa voltando do trabalho ou no começo da noite.

Evite gastar tempo com pessoas que fazem com que você se sinta ansioso. Saiba quem são as pessoas que dão mais suporte a você e encontre maneiras de passar mais tempo com elas.

Seja paciente e amável com si próprio e com os outros. Quanto mais compaixão e entendimento tiver em relação a si mesmo e aos outros, sejam amigos ou desconhecidos, mais sadio o mundo vai parecer.

Caso seja pai ou mãe, crie um ambiente seguro em casa e seja um exemplo de comportamento para as pessoas que admiram você. As crianças aprendem a como lidar com a incerteza e o medo ao observarem como seus pais lidam com os momentos difíceis. Se seus filhos virem que você mantém os seus medos em perspectiva e encontra maneira positivas de lidar com isso, eles vão aprender a fazer o mesmo.

Busque suporte na sua comunidade de fé. Muitas pessoas encontram conforto em suas crenças religiosas e espirituais e em comunidades de fé em tempos difíceis.

Busque ajuda pessoal

É normal vivenciar várias emoções fortes depois da ocorrência de atos de violência, inclusive preocupação e medo. No entanto, se os seus medos e emoções impedem você de fazer as coisas que normalmente faz ou produzem um impacto sério na sua vida pessoal e profissional, fale com um terapeuta ou outro profissional de saúde mental. Por exemplo, se notar que anda muito irritável ou tem pouca paciência com os outros ou que os seus medos estão interferindo em sua habilidade de lidar ou de funcionar, você provavelmente se beneficiaria de uma ajuda profissional. O seu médico pode ajudar a encontrar um profissional de saúde mental. O seu programa corporativo de assistência também pode conectar você a recursos e suporte.

Receba novos posts por e-mail:
Powered by follow.it

Está passando por alguma dessas situações ou precisa de ajuda em alguma outra questão?

Fale com o d .

Este é um recurso exclusivo e foi desenvolvido para ajudar você a melhorar sua saúde mental positiva, sua resiliência e o equilíbrio entre sua vida profissional e sua vida pessoal.

Se você sentir que é uma ameaça para si mesmo ou para outra pessoa, entre em contato com o d ou ligue para o telefone de emergência 190 ou para 188 para falar com o CVV – Centro de Valorização da Vida em todo o território brasileiro.