Mindfulness: conheça a técnica que ajuda a desenvolver a concentração

fale com o : pelo | via e-mail

Voltar a Página Anterior


Postado dia 9 de janeiro de 2017 por


Mindfulness é um termo em inglês que pode ser definido como atenção plena, foco e presença. De origem budista, o conceito tem mais de 2.500 anos, mas passou a ganhar notoriedade no ocidente nas últimas três décadas para tratar problemas associados ao estresse e à ansiedade.

A técnica de mindfulness se refere ao um estado consciência dos pensamentos, emoções, sensações físicas e do ambiente ao redor. Além disso, envolve aceitação, o que significa que durante a prática presta-se atenção aos pensamentos e sentimentos sem julgá-los – sem acreditar, por exemplo, que existe a forma certa e errada de pensar e sentir em uma determinada situação. Quando praticamos mindfulness, nossos pensamentos se transformam em apenas no que estamos sentindo no momento presente ao invés de repensarmos o passado e imaginarmos o futuro.

Dessa forma, não é de se estranhar que o conceito de mindfulness tenha surgido com tanta força nos últimos anos. Com a rotina cada vez mais intensa do dia a dia e o surgimento de novas tecnologias, temos nos tornados pessoas multitarefas e, como consequência, incapazes de nos focarmos plenamente no que está ocorrendo aqui e agora.

De acordo com as estatísticas, passamos cerca de onze minutos concentrados em uma atividade antes que alguém nos interrompa, ou até que nós mesmos nos desconectemos. Essa falta de concentração para realizar cada ação de uma só vez gera frustrações, sensação de nunca ter tempo suficiente, estresse e ansiedade.

Como praticar a atenção plena

O estado de atenção plena ajuda não apenas a focar em uma coisa só, como também a ser mais criativo e poder julgar e avaliar as situações com maior clareza, entender melhor as emoções e aproveitar o momento presente.

E assim como tantas outras habilidades, a atenção plena pode ser treinada e apresentar resultados progressivos bastante positivos. Veja a seguir como praticar:

Tempo: Reserve de 10 a 20 minutos do dia para a prática.

Respiração: Sente-se confortavelmente em um lugar silencioso. Respire profundamente e solte o ar devagar, focando nas sensações do seu estômago, peito ou narinas.

Uva passa: esse é um dos exercícios mais conhecidos nas academias de mindfulness mundo a fora. Trata-se de acariciar uma uva passa delicadamente, sentindo suas formas e observando todos os seus detalhes e cores. Depois, com os olhos fechados, sinta-a novamente em sua mão. Coloque-a na boca e explore-a com a língua. No final, mastigue-a sem pressa, percebendo o seu sabor e como ela se funde com a saliva. Depois de engolir calmamente, note como ela cai pela garganta e se integra ao seu interior.

Esse exercício ajuda a se concentrar no momento presente e pode ser experimentado com outros alimentos.

Desenhar e colorir: vimos nos últimos tempos uma explosão de ofertas de livros de desenhar e colorir para adultos nas livrarias. Se você achou que isso era apenas uma nova moda, você está enganado. Desenhar e colorir traz muitos benefícios para a obtenção do estado de atenção plena. Com apenas uma folha de papel e alguns lápis de cor, podemos nos concentrar e nos conectar com o nosso lado criativo, reduzindo o nosso ruído interior.

Na internet é possível encontrar uma infinidade de desenhos, principalmente mandalas, consideradas por Carl Jung, renomado psiquiatra suíço, como a “única terapia que pode ser feita sozinho”.

Caminhe meditando: nesse exercício você se concentra em seus passos; nos pés tocando e deixando o chão; e na respiração. Esse exercício é muitas vezes praticado andando-se para frente e para trás, em 10 passos, embora possa ser praticado em qualquer distância.

Receba novos posts por e-mail:
Powered by follow.it

Está passando por alguma dessas situações ou precisa de ajuda em alguma outra questão?

Fale com o d .

Este é um recurso exclusivo e foi desenvolvido para ajudar você a melhorar sua saúde mental positiva, sua resiliência e o equilíbrio entre sua vida profissional e sua vida pessoal.

Se você sentir que é uma ameaça para si mesmo ou para outra pessoa, entre em contato com o d ou ligue para o telefone de emergência 190 ou para 188 para falar com o CVV – Centro de Valorização da Vida em todo o território brasileiro.